Bhante Vimalaramsi - Praticando Meditação Budista


Palestra de Bhante Vimalaramsi sobre a prática de meditação.

Transcrição:

Obstáculos na Meditação - Bhante Vimalaramsi



A Remoção de Pensamentos Distrativos
MN20 (Majjhima Nikaya N°.20)

Bhante Vimalaramsi ensina como lidar com obstáculos que atrapalham a meditação, Segundo o Sutta nº 20 do Majjhima Nikaya (MN20)

Transcrição:

Bhante Punnaji - Sila - Boa Conduta

Palestra (7 partes):


Bhante Punnaji explica a importância de Sila, ou Boa Conduta no Budismo.

Transcrição:

Canto de Metta - Imee Ooi - Em Português


Canto da Compaixão Universal

Composição e Interpretação: Imee Ooi
Letra original em Pali: Siddhattha Gotama, o Buda

Versão Cantável em Português: Carlos Ribeiro
Edição do vídeo: http://origemdependente.blogspot.com.br/

Palestra de Ajahn Chah

Palestra a Leigos Sobre o Dhamma

Algumas pessoas dizem que é impossível praticar o Dhamma como uma pessoa leiga. Considerem qual grupo é maior, os monges ou as pessoas leigas? Existem muito mais pessoas leigas. Agora, se apenas os monges praticarem e as pessoas leigas não, então isso significa que haverá muita confusão. Isso é um entendimento errado. “Eu não posso me tornar um monge…” Tornar-se um monge não é o ponto! Ser um monge não tem significado se vocês não praticarem. Se vocês realmente entendem a prática do Dhamma, então não importa qual posição ou profissão que vocês tenham na vida, seja um professor, doutor, funcionário público ou qualquer outra, vocês podem praticar o Dhamma todos os minutos do dia. (...) O Buddha viveu neste mundo, ele não viveu em nenhum outro lugar. Ele experimentou a vida em família, mas ele viu as limitações e se desapegou dela. Agora, como vocês, enquanto pessoas leigas irão praticar? Se quiserem praticar deverão fazer um esforço para seguir o caminho. Se perseverarem com a prática também enxergarão as limitações deste mundo e serão capazes de deixar passar. (...) Hoje em dia, dar palestras tende a ser assim, e está piorando o tempo todo. As pessoas não procuram pela verdade, elas simplesmente estudam para encontrar o conhecimento necessário para sobreviverem, criarem famílias e cuidarem de si mesmas. Elas estudam para um sustento. Podem até ter algum estudo do Dhamma, mas não muito. Os estudantes hoje em dia possuem muito mais conhecimento que os estudantes de tempos anteriores. Eles possuem todos os requisitos a sua disposição, tudo é mais conveniente. Mas eles também possuem muito mais confusão e sofrimento que antes. Por que é assim? Porque eles procuram apenas pelo tipo de conhecimento utilizado para ser bem sucedidos na vida.

ÍNDICES DO FIB* BUTANÊS

Economia budista

Postado originalmente no blog O Mundo de Mantraman

escrito por mantraman em 23 de junho de 2009


“A cobiça, a insaciável cobiça humana” disse o primeiro ministro do Butão (país budista de existência duvidosa, mais para miragem do que para nação, situado, ao que tudo indica, no alto das Cordilheiras do Himalaia) Jigme Thinley, referindo-se ao que considera a causa principal da catástrofe econômica que o mundo está atravessando. “Precisamos mudar o rumo das coisas” disse ainda o butanês do interior do Palácio de Sonhos onde trabalha. “Temos que pensar na Felicidade Interna Bruta. Produto interno bruto, como o próprio nome diz, é uma brutalidade além de uma tremenda promessa esfarrapada”.
Conforme a nova Constituição Butanesa, aprovada no ano passado (2.008), os programas de Governo, da agricultura ao comércio exterior, passando pelos transportes, devem ser avaliadas não só pelos benefícios econômicos que podem gerar, mas também pela felicidade que produzem. Para que o mundo comece a levar a sério a Felicidade Interna Bruta, os governantes do reino budista criaram um modelo com normas e definições que podem ser quantificadas e medidas pelos mais proeminentes economistas da economia mundial.
O modelo é formado por quatro pilares, nove campos e 72 indicadores de felicidade. Os quatro pilares são: economia, cultura, meio ambiente e bom governo. Estes se dividem em nove campos: bem estar psicológico, ecologia, saúde, educação, cultura, formas de vida, uso do tempo, vitalidade da comunidade e bom governo, cada qual com seu índice FIB.
Tudo isto é analisado por meio de 72 indicadores.
No campo do bem estar psicológico, por exemplo, os indicadores incluem a frequência da prática da meditação e de sentimentos como egoísmo, a tranquilidade, a compaixão, a generosidade e a frustração, além dos pensamentos suicidas. Na imaculada cultura butanesa, contudo, o que se esconde atrás de um conceito tão maravilhoso quanto revolucionário é a palavra sobrevivência. “A história do Butão hoje em dia é, em uma palavra, sobrevivência”, disse Thinley. “A FIB (Felicidade Interna Bruta) é uma poderosa arma para triunfar sobre as ameaças que nos impedem de sobreviver”.

*FIB : Felicidade Interna Bruta

Escrito por mantraman